Receba conteúdo florestal grátis toda semana

africa

Você pararia de comer Nutella para salvar as florestas do planeta?




A ministra de ecologia da França irritou os amantes e fabricantes de Nutella. Ségolène Royal lembrou, em um programa de TV do Canal +, que a pasta é feita com óleo de palma, material que vem primariamente da Malásia (80%). Para ela, o uso do óleo de palma encoraja o desmatamento, que se tornou um grande problema no país asiático.

Royal afirma que, por serem encorajados a plantar palma pela exploração, os nativos desmatam as florestas nativas para plantar a árvore, causando danos ao ambiente e favorecendo o aquecimento global. Até 2010, 3,5 milhões de hectares de mata nativa foram destruídos para acomodar o cultivo.

As palmas em questão são originárias da África, mas agora, para satisfazer a demanda pelo óleo da planta, existem plantações ao redor do mundo todo. Nas últims décadas, a Indonésia e a Malásia se tornaram os maiores produtores.

Tudo isso em Nutella? Não, o material vai parar em shampoo, sabonete, sorvete, maquiagem, manteiga e margarina.

Questão de saúde

Não é apenas a questão ambiental que preocupa o Senado francês também quer sancionar a utilização de óleo de palma na confecção de produtos alimentares, já que este ingrediente tem efeitos negativos na saúde. 

Um projeto de lei prevê novas tributações sobre todos os produtos de alimentos ricos em óleo de palma, ingrediente deste famoso creme. A medida surge depois de o país ter aumentado também os impostos sobre bebidas energéticas ou a cerveja. Na Alemanha, por exemplo, a Nutella é também uma campeã de vendas mas com uma receita adaptada às exigências do país, com menos quantidade de óleo de palma e mais cacau.

Daudigny esclareceu que se pretende aumentar o actual imposto em 300%, já que a própria Agência Nacional de Segurança Sanitária da Alimentação de França alertou que a população ingere demasiadas gorduras saturadas, com efeitos claros no aumento do número de obesos e de pessoas com doenças cardiovasculares. Estima-se que o aumento do imposto contribua com mais 300 euros por cada tonelada consumida para os cofres públicos (actualmente são cerca de 98 euros), o que representa uma receita anual de 40 milhões por ano. As verbas do projecto de lei, refere o "Le Monde" destinam-se a financiar a Segurança Social do país.

O senador esclarece, contudo, que o imposto visa sobretudo que a indústria agro-alimentar substitua o óleo de palma por outras alternativas mais saudáveis, e não tanto castigar os consumidores gulosos. Um argumento que não convence os produtores, que garantiram que o aumento do imposto levará a um aumento do preço dos produtos para as famílias.

Os franceses consomem 75 mil toneladas de Nutella por ano e 126.000 toneladas de óleo de palma em produtos como este creme de chocolate e avelã."

Fonte: Revista Galileu /  P3

por: Lucas Monteiro

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.