Receba conteúdo florestal grátis toda semana

[DOWNLOAD]

[DOWNLOAD] Panorama sobre o desmatamento na Amazônia em 2016


A estimativa da taxa de desmatamento na Amazônia do Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal por Satélite (PRODES), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), apontou a taxa de 7.989 km2 de corte raso no período de agosto de 2015 a julho de 2016. Os estados que mais desmataram foram o Pará (37,86%), Mato Grosso (18,87%), Rondônia (17,45%) e Amazonas (13,75%).

De acordo com dados do PRODES, 2016 indica um aumento de quase 29% em relação a 2015, ano em que foram medidos 6.207 km2. No entanto, a taxa atual representa uma redução de 71% em relação à registrada em 2004, naquele ano, o governo federal criou vários dispositivos para controlar o problema, entre eles, a lista de municípios críticos e o Plano para Prevenção e Controle do Desmatamento na Amazônia (PPCDAm). Essas e outras medidas assumidas desde então ajudaram a reduzir o desmatamento na região. Porém, nos últimos dois anos, as taxas registradas pelo INPE aumentaram, chegando em 2016 a 7.989 km2 , a maior desde 2008. 

Nesta nota técnica publicada pelo IPAM Amazônia, procurou-se dissecar aspectos importantes relacionados ao desmatamento em 2016, identificando o desmatamento por categoria fundiária, tamanho de polígonos e quantidade de remanescente, particularizando-o em cada um dos nove estados da Amazônia Legal.

Acesse a publicação na íntegra e entenda um pouco sobre a dinâmica do desmatamento na Amazônia Legal em 2016:





Fonte: IPAM

por: Leovigildo Santos

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.