Receba conteúdo florestal grátis toda semana

Chile

Ibama envia especialistas para combate a incêndios no Chile

O ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, autorizou nesta quinta-feira (02/02) o envio de 7 servidores do Ibama ao Chile para participar de missão humanitária emergencial de combate aos incêndios florestais mais graves já registrados naquele país. Os coordenadores do Centro Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais (Prevfogo) do Ibama no Ceará, Kurtis Bastos; no Mato Grosso do Sul, Márcio Yule; em Rondônia, Roberto Abreu; e os analistas ambientais Rodrigo Falleiro, Altair Gonçalves, Marcelo de Oliveira e Alexandre Pereira seguem para a capital chilena, Santiago, nesta sexta-feira (03/02), com a missão de auxiliar a coordenação de operações e realizar perícias para apuração das causas dos incêndios.

No fim de janeiro, o governo chileno solicitou ao Brasil o envio de brigadistas e coordenadores de operação para combater os incêndios florestais que vêm afetando as regiões de Valparaíso, O'Higgins, Maule, Biobío, La Araucanía, Los Lagos e Metropolitana. Com o contingente de apoio recebido de países como Argentina, Estados Unidos e Rússia, as autoridades chilenas passaram a solicitar ao Brasil profissionais com perfil mais especializado.

Até o momento, as chamas já consumiram cerca de 370 mil hectares e provocaram a morte de 11 pessoas, entre elas três brigadistas da Corporação Nacional de Florestas. A qualidade do ar na capital e nas demais áreas atingidas foi bastante afetada e já deixou aproximadamente 250 famílias desalojadas.

O Ibama já havia oferecido apoio no combate a incêndios florestais no Chile em 2011. Na ocasião foram enviados 37 brigadistas, 6 chefes de esquadrão, 12 chefes de setor e um coordenador-geral.

Missão brasileira de apoio ao combate a incêndios florestais no Chile, em 2011. Foto: Ibama
O país andino também auxiliou o Brasil no segundo semestre de 2015, com o envio de 20 mil litros de retardante químico para ajudar a conter as chamas que destruíram parte da Terra Indígena Arariboia, no Maranhão. Na ocasião, as operações de combate foram coordenadas por dois servidores agora enviados ao Chile: Márcio Yule e Rodrigo Falleiro.


por: Leovigildo Santos

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.