Receba conteúdo florestal grátis toda semana

Ecossistema

[CONCEITOS] Serviços Ecossistêmicos

O que é um ecossistema?

 De acordo com Odum (2004), qualquer unidade que inclua a totalidade de seus organismos (isto é, a comunidade) de uma determinada área, interagindo com o ambiente físico de forma que uma corrente de energia conduza a uma estrutura trófica, a uma diversidade biótica e a ciclos de materiais ( isto é, a troca de materiais entre as partes vivas e não vivas) claramente definidos dentro do sistema é um sistema ecológico ou ecossistema.
Basicamente, o ecossistema pode ser compreendido como um conjunto formado pelas interações entre componentes bióticos (organismos vivos) com os componentes abióticos (elementos químicos e físicos, como o ar, a água, o solo e minerais). Estes componentes interagem através das transferências de energia dos organismos vivos entre si e entre estes e os demais elementos do ambiente.

Serviços Ecossistêmicos

A definição de serviços ecossistêmicos é simples: trata-se dos benefícios que os seres humanos obtêm da natureza direta ou indiretamente, através dos ecossistemas, a fim de sustentar a vida no planeta.
Diagrama de Serviços ecossistêmicos. Fonte: metrovancouver.org
Alguns exemplos:


  • Os ecossistemas proveem a purificação da água e do ar, amenizam os fenômenos climáticos violentos (como ciclones, tornados e tufões) e protegem contra desastres naturais (por exemplo, tsunamis e deslizamentos de terra); decompõem o lixo, mantêm os solos férteis e ajudam no controle de erosões. 
  • Animais, como as abelhas, vespas e formigas, polinizam as plantas que, enquanto crescem, sequestram carbono da atmosfera. Outros, como a cotia e o mico-leão-dourado, ajudam as florestas e matas dispersando sementes. 
  • As fezes animais fertilizam o solo. Por sua vez, as florestas fornecem madeira, alimentos, substâncias medicinais, fibras e produzem recursos genéticos (qualquer material de origem vegetal, animal ou microbiana que contenha unidades funcionais de genes e apresentem valor econômico real ou potencial). 
  • Os sistemas fluviais disponibilizam água doce, o mais essencial dos recursos, movem hidrelétricas para produzir energia, quando navegáveis substituem estradas e são usados como áreas de lazer. 
  • As zonas úmidas costeiras filtram os resíduos, mitigam as cheias e servem de viveiro para a fauna marinha, o que permite a pesca comercial. Todos estes são exemplos de serviços ambientais. 
A Avaliação Ecossistêmica do Milênio da ONU, publicada em 2005, criou uma classificação para os serviços ecossistêmicos, dividindo-os da seguinte forma:

(1) Serviços de Provisão: os produtos obtidos dos ecossistemas. Exemplos: alimentos, água doce, fibras, produtos químicos, madeira.

(2) Serviços de Regulação: benefícios obtidos a partir de processos naturais que regulam as condições ambientais. Exemplos: absorção de CO² pela fotossíntese das florestas; controle do clima, polinização de plantas, controle de doenças e pragas.

(3) Serviços Culturais: São os benefícios intangíveis obtidos, de natureza recreativa, educacional, religiosa ou estético-paisagística.

(4) Serviços de Suporte: Contribuem para a produção de outros serviços ecossistêmicos: Ciclagem de nutrientes, formação do solo, dispersão de sementes.

Exemplos de serviços ecossistêmicos fornecidos pela floresta:   

Água: As florestas mantêm o bom funcionamento dos fluxos de água pois são responsáveis por retornar parte da água da chuva para atmosfera. Quando chove, uma parcela da água fica retida nas copas e evapora, outra parte é absorvida pelas raízes e utilizada pelas árvores e também evapora por meio da transpiração das plantas - esse fenômeno é chamado de evapotranspiração. Com esse sistema, as florestas devolvem parte da água para a atmosfera para continuar o ciclo hidrológico. O sistema radicular das árvores (suas raízes) e a matéria orgânica depositada no solo aumentam a porosidade do mesmo e, consequentemente, a infiltração do restante da água é facilitada. 

A água infiltrada é armazenada nas camadas internas do solo e em formações rochosas que agem como uma esponja, liberando a água gradualmente pelo lençol freático. Esse controle feito pela vegetação estabelece uma vazão regular ao longo do ano, evitando enchentes ou secas. 

A vegetação também controla a composição química da água pela filtragem física e biológica, melhorando sua qualidade e dispensando altos gastos com tratamento de água.

As florestas ajudam a evitar o processo de assoreamento dos mananciais, além de funcionarem como proteção de áreas de abastecimento do lençol freático e na proteção de nascentes.

Solo: A parte aérea das árvores interceptam as gotas de chuva, fazendo com que elas cheguem com menos força ao solo evitando assim que partículas sejam desagregadas e carregadas pela força da água. Já as raízes atuam na contenção mecânica do solo, devido ao extenso sistema radicular das plantas, principalmente as de grande porte. Este sistema radicular se constitui numa verdadeira rede viva, que une os grãos entre si e mantém a coesão do solo, evitando a desagregação de torrões. O solo florestal costuma ser coberto por uma camada de restos orgânicos que também ajuda no amortecimento da água da chuva, maior retenção e infiltração da água, reduzindo assim também os riscos de erosão.

Manutenção da fertilidade, através dos restos orgânicos depositados na superfície dos solos florestais (serrapilheira) que, ao serem decompostos liberam nutrientes como o fósforo e o enxofre que ficarão disponibilizados no solo. A serrapilheira também é uma importante fonte de alimentos para a fauna do solo, além de e conforto térmico ajudando a controlar a temperatura nos horizontes superficiais.

Controle climático: A interação entre florestas e o clima acontece pela contribuição em temperatura, radiação solar, precipitação e intervenção na composição de gases na atmosfera. A cobertura vegetal influencia em absorção, reflexão e transmissão de luz solar na superfície terrestre. As copas das árvores interceptam a luz do sol, absorvendo ou refletindo, e assim alteram a quantidade e a intensidade da radiação que chega ao solo; isso mantêm a umidade e deixa a temperatura mais amena. É exatamente por esses motivos que, quando estamos dentro de uma área verde, sentimos o clima mais fresco.
 
As florestas têm capacidade de diminuir a temperatura máxima e aumentar a temperatura mínima diariamente, tornando a temperatura mais constante, além de servirem como uma barreira para o vento. Em uma escala menor, as árvores regulam microclima e umidade; em áreas urbanas a temperatura pode cair mais de 2ºC em áreas vegetadas.

Através da fotossíntese, as florestas são capazes de armazenar carbono que fica retido em seus tecidos. Uma árvore é capaz de absorver 15,6 quilos de carbono e de outros poluentes em um ano (saiba mais aqui). Por outro lado, o desmatamento, principalmente devido a queimadas (método mais comum), causam a liberação de CO2 acumulado na biomassa das árvores e de material particulado, que prejudica a qualidade do ar. Uma floresta saudável captura gases poluentes em grandes quantidades e contribui para o controle climático e para a qualidade do ar. Grandes florestas como a Amazônia afetam o clima global, e florestas menores afetam o microclima local.

Biodiversidade: As florestas são compostas por uma grande diversidade de animais, plantas e microrganismos e são responsáveis por fornecer os subsídios necessários para sua sobrevivência. Elas oferecem abrigo, proteção, alimento para espécies que vivem nela ou que apenas fazem uma parada, como pássaros por exemplo.

Para nós, a biodiversidade das florestas possui grande valor econômico, estima-se que cerca de 4% do PIB do Brasil seja oriundo de serviços prestados como obtenção de lenha e carvão, madeira, papel e celulose, entre outros. A biodiversidade das florestas também oferece princípios ativos, produção de medicamentos, pesquisas científicas e novas soluções de tecnologia por meio da biologia sintética.

Todos esses serviços ecossistêmicos prestados pelas florestas variam de acordo com o tipo de espécie, solo, clima, declividade, entre outros fatores. Mas é indiscutível a importância das florestas para o planeta.


Fontes: ONU, oECO, eCycle.






 

por: Leovigildo Santos

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.