'Esta porcaria entra em vigor na data de publicação', diz Ibama no Diário Oficial - Florestal Brasil

Receba conteúdo florestal grátis toda semana

diário oficial

'Esta porcaria entra em vigor na data de publicação', diz Ibama no Diário Oficial



Uma portaria do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), da Bahia, publicada nesta quinta-feira, 14, no Diário Oficial da União, provocou polêmica. O artigo 2 da Portaria nº 817, de 12 março de 2019, estabelece que ‘esta Porcaria entra em vigor na data de sua publicação no Diário Oficial da União’. O provável erro de digitação gerou reações e comentários nas redes sociais.

O artigo 1 do dispositivo designou três servidores para compor a Comissão do Pregoeiros Oficiais do Ibama no Estado da Bahia e compôs uma equipe de apoio na instituição. O artigo 2 registrou que ‘esta Porcaria entra em vigor na data de sua publicação no Diário Oficial da União, revogando-se as disposições anteriores’.

O IBAMA se pronunciou dizendo que vai corrigir o texto (e provavelmente desabilitar o corretor automático). Porém muita gente compartilhou a falha ortográfica, o que gerou muitas piadas pelo duplo sentido que a frase gerou. (É por essas e outras que eu fiz engenharia rsrs)

IBAMA PODE FICAR MAIS FECHADO
Ricardo Salles | Foto: Jorge William



Paralelamente, outra ação do IBAMA pode gerar impactos mais preocupantes do que melhorar as configurações do corretor automático. O governo ordenou que o Ibama não responda a pedidos da imprensa, alimentando temores de que o presidente Jair Bolsonaro esteja recuando de proteções ambientais longe dos olhos do público.

Bolsonaro assumiu o cargo em 1º de janeiro, após se comprometer na campanha a conter as multas ambientais, uma ferramenta fundamental do Ibama para fazer valer seus regulamentos. Ele também lançou a ideia de retirar o Brasil do Acordo de Paris sobre mudanças climáticas.

Ativistas e organizações não-governamentais temem que os movimentos causem desmatamento e outras destruições ambientais.

O Ibama disse em comunicado que não pode mais responder às perguntas da imprensa.

"Por orientação do Ministério do Meio Ambiente (MMA), demandas de imprensa relacionadas à atuação do Ibama devem ser direcionadas à assessoria de comunicação do MMA", informou a assessoria de imprensa do Ibama.

O chefe de comunicações da agência foi forçado a sair após semanas resistindo à ordem do ministério de redirecionar questionamentos da imprensa, segundo uma fonte a par do assunto.

Questionado sobre o tema, o Ministério do Meio Ambiente afirmou em nota que "a atuação coordenada dos trabalhos de assessoramento de comunicação e acompanhamento parlamentar proporcionará maior eficiência e coesão entre os órgãos que compõem o sistema ambiental".

Adriana Ramos, assessora jurídica e política da organização não-governamental brasileira Instituto Socioambiental (ISA), disse em comunicado que o acesso à informação ambiental é um dos pilares do Sistema Nacional do Meio Ambiente.

"Reduzir os mecanismos pelos quais a sociedade é informada sobre questões ambientais no Brasil é uma afronta à lei de liberdade de informação do país e ao direito à informação, e apenas reforça a visão de que eles estão promovendo o desmantelamento da gestão ambiental no Brasil", diz o documento.

Fonte: Estadão / Terra

por: Lucas Monteiro

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.