Receba conteúdo florestal grátis toda semana

diário oficial

'Esta porcaria entra em vigor na data de publicação', diz Ibama no Diário Oficial



Uma portaria do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), da Bahia, publicada nesta quinta-feira, 14, no Diário Oficial da União, provocou polêmica. O artigo 2 da Portaria nº 817, de 12 março de 2019, estabelece que ‘esta Porcaria entra em vigor na data de sua publicação no Diário Oficial da União’. O provável erro de digitação gerou reações e comentários nas redes sociais.

O artigo 1 do dispositivo designou três servidores para compor a Comissão do Pregoeiros Oficiais do Ibama no Estado da Bahia e compôs uma equipe de apoio na instituição. O artigo 2 registrou que ‘esta Porcaria entra em vigor na data de sua publicação no Diário Oficial da União, revogando-se as disposições anteriores’.

O IBAMA se pronunciou dizendo que vai corrigir o texto (e provavelmente desabilitar o corretor automático). Porém muita gente compartilhou a falha ortográfica, o que gerou muitas piadas pelo duplo sentido que a frase gerou. (É por essas e outras que eu fiz engenharia rsrs)

IBAMA PODE FICAR MAIS FECHADO
Ricardo Salles | Foto: Jorge William



Paralelamente, outra ação do IBAMA pode gerar impactos mais preocupantes do que melhorar as configurações do corretor automático. O governo ordenou que o Ibama não responda a pedidos da imprensa, alimentando temores de que o presidente Jair Bolsonaro esteja recuando de proteções ambientais longe dos olhos do público.

Bolsonaro assumiu o cargo em 1º de janeiro, após se comprometer na campanha a conter as multas ambientais, uma ferramenta fundamental do Ibama para fazer valer seus regulamentos. Ele também lançou a ideia de retirar o Brasil do Acordo de Paris sobre mudanças climáticas.

Ativistas e organizações não-governamentais temem que os movimentos causem desmatamento e outras destruições ambientais.

O Ibama disse em comunicado que não pode mais responder às perguntas da imprensa.

"Por orientação do Ministério do Meio Ambiente (MMA), demandas de imprensa relacionadas à atuação do Ibama devem ser direcionadas à assessoria de comunicação do MMA", informou a assessoria de imprensa do Ibama.

O chefe de comunicações da agência foi forçado a sair após semanas resistindo à ordem do ministério de redirecionar questionamentos da imprensa, segundo uma fonte a par do assunto.

Questionado sobre o tema, o Ministério do Meio Ambiente afirmou em nota que "a atuação coordenada dos trabalhos de assessoramento de comunicação e acompanhamento parlamentar proporcionará maior eficiência e coesão entre os órgãos que compõem o sistema ambiental".

Adriana Ramos, assessora jurídica e política da organização não-governamental brasileira Instituto Socioambiental (ISA), disse em comunicado que o acesso à informação ambiental é um dos pilares do Sistema Nacional do Meio Ambiente.

"Reduzir os mecanismos pelos quais a sociedade é informada sobre questões ambientais no Brasil é uma afronta à lei de liberdade de informação do país e ao direito à informação, e apenas reforça a visão de que eles estão promovendo o desmantelamento da gestão ambiental no Brasil", diz o documento.

Fonte: Estadão / Terra

por: Lucas Monteiro

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.