As 10 mais comuns no Brasil. Você conhece todas elas? - Florestal Brasil

Receba conteúdo florestal grátis toda semana

amazonia

As 10 mais comuns no Brasil. Você conhece todas elas?

As florestas no Brasil é o que representa este país como um todo, por aqui temos diversos Biomas, mais que qualquer país do mundo. Com isso, nós temos uma imensa responsabilidade socio-ambiental, pois ao mesmo tempo que devemos proteger as nossas matas, necessitamos produzir, e isso transforma o Brasil em um ótimo “receptor”, isso é, temos espécies nativas e exóticas lado a lado, sendo que de um lado está a preservação e do outro temos a silvicultura.

Abaixo, separamos uma lista das árvores mais comuns no Brasil:
(Essa lista não está classificada por nenhuma ordem de importância ou quantidade. São apenas árvores que possuem destaque na nossa cultura e biodiversidade) 

Naturalmente, seria impossível listar todas as árvores mais comuns do Brasil e muitas ficaram de fora, por isso, coloque nos comentários qual árvore você gostaria de ver na lista que quem sabe nós fazemos a parte 2 dessa lista


1 – Eucalipto 
O Eucalipto é um nome genérico que faz referência a algumas espécies de árvores pertencentes à família Myrtaceae.

ÓLEO ESSENCIAL DE EUCALIPTO - PARA A ÉPOCA DE INVERNO - EVE Aromas ...

Não há data exata para a introdução do eucalipto no Brasil. Há relatos de que os primeiros espécimes foram plantados nas áreas pertencentes ao Jardim Botânico e ao Museu Nacional do Rio de Janeiro, nos anos de 1825 e 1868; no município de Amparo, SP, entre 1861 e 1863; e no Rio Grande do Sul, em 1868.
Existem mais de 700 espécies reconhecidas botanicamente. Essas espécies têm propriedades físicas e químicas tão diversas que fazem do eucalipto usado para os mais diversos fins, como lenha, estacas, postes, dormentes, carvão vegetal, celulose e papel, painéis de fibras e partículas, até móveis, energia de geração, medicamentos, entre outros. outras.
O eucalipto tem grande importância comercial na economia brasileira. Segundo a Indústria Brasileira de Árvores, são plantados 5,5 milhões de hectares com esse gênero, com produtividade média de 39 m³ / ha / ano.

2 – Aroeira
Aroeira  é o nome popular de várias espécies de árvores da família Anacardiaceae. Entre eles, destacamos a aroeira vermelha, amplamente encontrada em nosso país, utilizada como planta medicinal.




Também é conhecida como aroeira mansa, que pode ser usada como remédio caseiro para o tratamento de doenças sexualmente transmissíveis.
Alguns tipos de Aroeira são muito populares na culinária e outros servem para fazer infusões na medicina popular. É uma árvore nativa do nosso país.

3 – Pinus

Pinus é o nome comum das árvores pertencentes à divisão Pinophyta, tradicionalmente incluídas no grupo de gimnospermas. Eles são principalmente nativos do Hemisfério Norte. Na Eurásia, ocorrem de Portugal e leste da Escócia até o extremo leste da Rússia, Japão, norte da África.



Os Pinheiros (também conhecidos por este nome) são plantados extensivamente em muitas partes do Hemisfério Sul.

O Cultivo do Pinus no Brasil pode ser encontrado em diversos estados, sua madeira é comumente usado na fabricação de caixas, pallets, usos de serraria (tabua, sarrafos e caibro). Além disso, em algumas espécies de Pinus é extraido resina.

As espécies de pinus mais plantadas no Brasil são: Pinus taeda, Pinus elliotti (que toleram geadas), Pinus caribaea var. hondurensis, Pinus oocarpa e Pinus tecunumanii (estes toleram déficit hídrico), sendo a maior parte do plantios nos Estados da região Sul do país.

No Brasil temos uma espécie chamada Araucária, está também tem seu valor economico e ecológico, já que o seu Pinhão é comestível.

4 – Bambu
Bambu é o nome dado às plantas da subfamília Bambusoideae, uma das famílias das gramíneas (Poaceae ou Gramineae).



Estima-se que existam cerca de 1.250 espécies de bambu no mundo, espalhadas por 90 gêneros, presentes de forma nativa em todos os continentes, exceto na Europa. 

O bambu tem hastes lignificadas utilizadas na fabricação de diversos objetos, como instrumentos musicais, móveis, cestos e até na construção civil, onde é utilizado na construção de edifícios à prova de terremotos. 

Também é possível produzir fibra de bambu a partir desta grama. É amplamente utilizado para fins artísticos, como objetos decorativos.

Curiosidade: Silvio Santos não gosta muito de ouvir falar nessa planta. (Não entendeu? procura no google kkk)


5 – Castanheira


A Bertholletia excelsa, popularmente conhecida como Castanheira, produz as famosas castanhas-do-Pará (também chamadas castanha-do-brasil, castanha-da-amazônia, castanha-do-acre, noz amazônica, noz boliviana, tocari ou tururi), é uma árvore de grande porte, muito abundante no norte do Brasil e na Bolívia, cujo fruto contém a castanha, que é sua semente. É uma árvore da família botânica Lecythidaceae, endêmica da Floresta Amazônica.



A sua madeira sempre foi considerada de excelente qualidade, sendo utilizada no passado em construções em Portugal. Hoje, embora em menor escala, ainda é usado em móveis e decoração de interiores.

6 – Cedro


O Cedro ou cedro-cheiroso (Cedrela odorata), também conhecido pelos nomes vulgares de acaju, cedro-fêmea, cedro-rosa, cedro-espanhol, cedro-vermelho, cedro-mogno e cedro-brasileiro, é uma árvore da família das meliáceas, com uma ampla distribuição natural, ocorrendo do México a Argentina. No Brasil ocorre na Floresta Atlântica, na Amazônia e mesmo na Caatinga.


Cedrela odorata L. | Árvores do Bioma Cerrado


Em virtude de sua madeira de excelente qualidade, o cedro está ameaçado de extinção resultante da exploração excessiva. Pode ser utilizada para fins de carpintaria, construção naval e aeronáutica. Também é uma ótima aliada para restauração de florestas.

Seu sistema de reprodução é através do sistema sexual monóico e sua polinização é feita principalmente por mariposas e insetos

O cedro brasileiro não deve ser confundido com o cedro do Líbano, que é uma Gimnosperma do gênero Cedrus. Provavelmente, Cedrela odorata recebeu o mesmo nome que o cedro (Cedrus) devido à boa qualidade da sua madeira e ao odor característico desta, semelhante ao do cedro-do-líbano.

7 – Jatobá

O Jatobá é uma árvore nativa da Amazônia e da Mata Atlântica brasileira. Também conhecido como jatobá-verdadeiro, jatobazeiro ou apenas jatobá, seu nome científico é Hymenaea courbaril é uma árvore da família das fabáceas. É a espécie arbórea dominante na floresta estacional semidecidual submontana. A espécie pode alcançar 40 metros de altura e 2 metros de diâmetro, embora uma árvore tenha atingido 95 metros na Amazônia. 

Embora a espécie seja considerada ameaçada de extinção devido à superexploração, e como árvore rara, com apenas uma árvore por hectare pelo Instituto de Pesquisa e Estudos Florestais (IPEF), foi avaliada como pouco preocupante na Lista Vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais versão 3.1, pois tem uma larga distribuição geográfica, por ser considerada comum, e por ocorrer em áreas protegidas, e por sua população não estar ameaçada ou em declínio.

É considerada sagrada por povos indígenas, que serviam os frutos antes de rituais de meditação, pois acreditavam que o fruto trazia equilíbrio mental, e pesquisas recentes demonstraram que realmente, o fruto pode trazer benefícios à organização mental, o fruto é rico em ferro, e é indicado a quem sofre de anemia. A madeira do jatobá é uma das mais valiosas entre todas as espécies do mundo Como espécie mais amplamente distribuída do gênero, o jatobá pode ser encontrado desde o sul do México e Antilhas até grande parte da América do Sul, no Brasil é encontrado desde o norte a sudeste; na Amazônia, na Caatinga, no Cerrado, na Mata Atlântica e no Pantanal, e está sendo introduzida na China, na Costa do Marfim, na Indonésia, no Quênia, no Madagascar, na Maurícia, em Singapura, no Sri Lanka, em Taiwan e em Uganda.É encontrada em altitudes superiores a 700 metros acima do nível do mar.

Das 6 variedades da espécie, 3 são endêmicas do Brasil, a variedade Hymenaea courbaril var. stilbocarpa está em risco de extinção, foi uma das espécies plantadas pelo Instituto Florestal de São Paulo, para conservação genética ex situ.



Sua madeira é altamente valorizada devido à sua resistência, mesmo pelos índios que a utilizam na fabricação de canoas. 

Sua casca e resina servem como remédio para várias doenças e a resina ainda pode ser usada como verniz vegetal, incenso, combustível e até impermeabilização.

8 – Juazeiro

Membro da família Rhamnaceae, é uma árvore, em ambiente natural de caatinga e cerrado. Com galhos tortuosos protegidos por espinhos, é uma árvore de tamanho médio.


E apesar de ser característica das regiões secas, a espécie também cresce e se adapta a locais mais úmidos, onde pode extrair água do subsolo. 

O juazeiro é uma árvore de crescimento lento e vida longa, que pode passar 100 anos. A árvore pode atingir 12 metros de altura. No entanto, geralmente está na faixa de 5 a 6 metros. É encontrado como vegetação natural, do interior do estado do Piauí ao norte de Minas Gerais.

9 – Pau-Brasil

Sem dúvidas uma das árvores mais famosas. Afinal o nome do nosso país deriva desta árvore. Apesar disso, poucos brasileiros já tiveram a oportunidade de ver de perto um exemplar da Paubrasilia echinata. 

É uma árvore leguminosa nativa da Mata Atlântica que atinge entre dez e quinze metros de altura e possui tronco reto, com casca de cor cinza escuro, coberta de acúleo, principalmente nos galhos mais jovens.
 
Segundo alguns estudiosos, "brasil" deriva do francês brésil, que deriva do toscano verzino, nome da madeira utilizada na tinturaria na Itália.Verzino, por sua vez, deriva do árabe wars, que designa uma planta tintória do Iêmen. Outra versão aponta que a palavra se origina do português Brasa, ou abrasado, devido à tonalidade avermelhada da madeira. Paubrasilia é o gênero da árvore. Já Echinata significa "com espinhos", uma referência ao fato de as vagens do pau-brasil terem acúleos, que são uma especialização da epiderme que se parece com espinhos. "Arabutã", "ibirapitanga", "ibirapiranga", "ibirapitá" e "orabutã" são derivados dos termos tupis ïbi'rá ("pau") e pi'tãga ("vermelho").

Em alguns idiomas, como o francês e o italiano, a árvore chama-se "pernambuco" (corruptelas: pernambouc, fernambouc, entre outras), devido ao fato de a Zona da Mata pernambucana ter sido o local onde se iniciou a exploração do pau-brasil. Pernambuco foi ainda a região de maior incidência da árvore, cuja qualidade era tão superior que regulava o preço no comércio europeu.






O município pernambucano de São Lourenço da Mata é considerado a capital nacional de Pau-Brasil. Em 7 de setembro de 1978, Pau-Brasil foi declarada Árvore Natural do Brasil.

10 – Seringueira
A Hevea brasiliensis (seringueira) é uma árvore da família Euphorbiaceae. Sua madeira é clara e branca e seu látex é de borracha.

É uma árvore originária da bacia do rio Amazonas, onde existia em abundância e exclusividade. A espécie foi introduzida no estado da Bahia, no Brasil, por volta de 1906.

Outras espécies
Sabemos que existem inúmeras espécies de diferentes valores ecológicos e econômicos, algumas não sitadas acimas mas que sabemos é o Pequi, o Paricá, o Ipê (os muitos Ipês), Jequitibá-rosa, Mogno-africano, Teca, Araucária e muitos mais.

Importância
Como é de nosso conhecimento, as árvores são de grande importância ecológica, promove o bem-estar da população em amplos aspectos, seja ele social, cultural ou econômico.
A preservação das árvores, florestas e rios são de extrema necessidade ambiental, pois só a natureza é capaz de nos dar o que precisamos.

Fonte: UCTerra; Wikipédia e demais referências relacionadas

por: Lucas Monteiro

0 comentários:

Tecnologia do Blogger.